Finanças pessoais: a importância da diversificação de investimentos

Renda fixa, variável ou poupança? Confira dicas importantes sobre diversificação dos investimentos. Continue a leitura e saiba as melhores maneiras de fazer o seu dinheiro render.



Anúncios



Anúncios

A diversificação de investimentos

Balanço patrimonial pessoal

Um dos conceitos mais importantes para a saúde das finanças pessoais é a diversificação de investimentos.

Hoje mais do que nunca estamos vendo a importância de poupar dinheiro para enfrentar as intempéries que a vida pode colocar em nossos caminhos.

Seja um desemprego, uma doença, ou qualquer outra dificuldade que por ventura possa surgir em nossas vidas. É imprescindível ter uma reserva financeira para passar pela dificuldade de forma menos turbulenta.

Contudo, não basta apenas guardar dinheiro. É preciso saber investí-lo para obter a máxima rentabilidade minimizando também o risco.



Anúncios

Entendendo os conceitos de renda fixa e renda variável

Antes de começar a investir o seu dinheiro é preciso primeiramente saber diferenciar o que é renda fixa e o que é renda variável.



Anúncios

Saber essa diferença é fundamental para evitar correr riscos não desejados, e também entender quais são os ativos que rendem mais dinheiro e porquê.

Os ativos de renda fixa, são desse modo, títulos de baixo risco e também de menor rentabilidade. Eles são ideais para quem possui um perfil mais conservador na hora de investir.

Atualmente existem diversos ativos de renda fixa como: CDB, LCI, LCA e Tesouro Direto. Quem busca este tipo de investimento precisa ter em mente que ele não dará um retorno muito alto, mas por outro lado não terá tanto risco.

Já os ativos de renda variável consistem em ativos cujo risco é maior, mas também há uma maior possibilidade de obter uma maior rentabilidade.

Dentre os ativos de renda variável mais conhecidos estão as Ações diretas na Bolsa de Valores, Fundos Multimercados, Fundos Imobiliários, dentre outros.



Anúncios

Esses ativos são indicados para quem tem um perfil um pouco mais arrojado de investimentos, e quer procurar à custa do risco obter mais ganhos.

Diversificando suas finanças pessoais para diminuir o risco

Para que você consiga ter um equilíbrio nas suas finanças pessoais é fundamental diversificar os seus investimentos entre ativos de renda fixa e renda variável.

Ao criar essa diversificação, você estará minimizando o seu risco, pois uma parte do seu dinheiro estará investido de forma segura.

Para quem não deseja arriscar muito, o ideal é deixar ao menos 70% do valor em ativos de renda fixa, mas quem pretende arriscar um pouco mais, poderá deixar 50% do valor em renda fixa, arriscando assim a outra metade.

Ter uma parte do capital em ativos de renda fixa é essencial, pois caso aconteça algum imprevisto em sua vida, você terá de onde tirar dinheiro.



Anúncios


Veja também:


Diversificando os ativos de renda variável

Se por um lado é importante diversificar entre renda fixa e variável, por outro também é importante diversificar os próprios ativos de renda variável.

Dessa forma, é preciso evitar colocar todo o seu capital em um mesmo investimento. Ou seja, colocar todo o valor em um único fundo multimercado ou em uma determinada ação.

Por isso, independente se você está aplicando 30% ou 50% do seu dinheiro em renda variável, busque diversificar esse valor em diversos tipos de investimentos.

Coloque uma parte em fundos de ações, outra parte em ações diretas, outra em fundos imobiliários. Enfim, são várias as possibilidades de se diversificar.



Anúncios

Essa diversificação irá diminuir o risco do seu investimento, pois caso algumas ações estejam indo mal, outras podem ir melhor e por isso você terá uma média de ganhos com risco diluído.

Para quem está almejando ter uma solidez financeira no futuro, criar essa diversificação é fundamental para ter uma tranquilidade financeira lá na frente.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.