Auxílio emergencial: quase 30% dos pedidos foram negados pelo governo

Praticamente 30% dos pedidos foram negados pelo fato dos solicitantes não atenderem às exigências impostas pelo governo para receber o auxílio.

Publicidade
Publicidade

Auxílio emergencial

Aproximadamente 30% dos pedidos para receber o auxílio emergencial foram negados pelo governo federal. Os dados são da DataPrev, empresa pública que identifica quem tem direito ao benefício.

Segundo o balanço divulgado na última terça-feira (14), aproximadamente 23 milhões de pessoas entraram com o pedido entre os dias 07 e 10 de abril. Desse total, somente 16,4 milhões (71,3%) tiveram o benefício aprovado.

Sendo assim, praticamente 30% dos pedidos foram negados pelo fato dos solicitantes não atenderem às exigências impostas pelo governo para receber o auxílio. Esse percentual refere-se ao primeiro lote de informações.

Auxílio emergencial está disponível para 70% dos pedidos

Embora o pedido tenha sido negado para 30% dos solicitantes, a DataPrev não informou qual foi o real motivo para a negação desses pedidos.

Anúncios
Publicidade

Ademais, a instituição também esclareceu em um primeiro momento que não seria permitido alterações no cadastro após o preenchimento. Contudo, na quinta-feira (15) a Caixa anunciou que será permitido ajustar os dados após o fim da primeira análise.

Ainda de acordo com a DataPrev, os datacenters da instituição estão funcionando 24 horas por dia, sendo que a duração de cada processamento no sistema de conferência é de aproximadamente 4 horas.

Publicidade

Dataprev dá início a análise do segundo lote de pedidos

Na última terça-feira (14) a DataPrev deu início a análise do segundo lote de pedidos dos trabalhadores informais, que foi recebido pelo aplicativo e pelo site da Caixa Federal.

Esse lote possui aproximadamente 12 milhões de cadastros. Esses foram feitos entre os dias 11 e 13 de abril. Segundo o Ministério da Cidadania a expectativa é que o pagamento seja concretizado até a próxima semana.

A DataPrev informou que até o momento os registros da Caixa já somavam cerca de 35,5 milhões de cadastros. Esse é o valor somado entre o primeiro e segundo lote que está sendo analisado.


Publicidade

Veja também:


O auxílio emergencial visa ajudar os profissionais liberais

O auxílio emergencial foi anunciado pelo governo federal logo no início da pandemia. Inicialmente, o valor do benefício era de apenas R$ 200,00. Esse valor foi aumentado para R$ 500,00 na câmara dos deputados que após consentimento do Presidente da República subiu para R$ 600.

Embora tenha sido aprovado ontem para aproximadamente 16 milhões de pessoas, o valor ainda não está disponível para saque. Diante do agravamento da situação, o governo espera que até a próxima semana tudo esteja regularizado.

Publicidade

Muitas pessoas que trabalham por conta própria estão sentindo na pele os efeitos do isolamento social. Sem serviço e sem renda, muita gente já está precisando cortar até mesmo o básico nas compras do supermercado.

O isolamento social está perto do fim?

No dia de ontem (16/04) foi anunciada a demissão do ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta. No seu lugar assumiu o médico oncologista Nelson Teich.

Uma das razões pelas quais Mandetta deixa o governo é o desgaste entre ele e o presidente Jair Bolsonaro que defende o isolamento vertical, onde somente idosos e grupo de risco teriam que ficar em casa.

No entanto, apesar da expectativa do isolamento estar chegando ao fim, o atual ministro Nelson Teich já defendeu abertamente o isolamento horizontal. Basta saber agora como ele irá adequar o seu discurso ao do presidente, e se haverá um afrouxamento no isolamento.

Enquanto isso não acontece, profissionais e empresários seguem ansiosos sem saber como será o destino, e se conseguirão manter os seus negócios em pé após a pandemia chegar ao final.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia com seus amigos nas redes sociais.

Publicidade