Auxílio emergencial terá que ser devolvido em 2021? Entenda!

Grande parte dos beneficiários não terão que fazer a devolução do auxílio emergencial em 2021. Continue a leitura e descubra os motivos.

Publicidade
Anúncios

Auxílio emergencial

auxilio emergencial caixa economica federal 2020

Embora o auxílio emergencial seja um benefício criado pelo governo para ajudar os profissionais mais vulneráveis durante a crise, algumas pessoas terão que devolvê-lo em 2021.

Logo que foi lançado, um dos fatores impeditivos para receber o auxílio emergencial era não ter declarado renda superior à R$ 28.559,70 no IR de 2018. Muito se questionou esse ponto, principalmente no Senado.

Os senadores, chegaram portanto, a retirar esse impeditivo no texto, entendendo que uma determinada pessoa poderia ter perdido renda nos últimos anos.

Como contrapartida foi adicionado no texto que o trabalhador que tivesse renda declarada no ano de 2020 teria que devolver o benefício em 2021. Ou seja, nesse caso o auxílio funcionaria como uma espécie de empréstimo.

Anúncios
Publicidade

Como será feita a devolução do auxílio emergencial?

O texto que saiu do senado para ser sancionado pelo Presidente da República, no entanto, sofreu ainda mais restrições.

Pois, o executivo vetou a retirada do trecho que incluía os profissionais que haviam declarado renda no ano de 2018. Ou seja, quem teve renda superior à R$ 28.559,70 em 2018, continuou sem poder receber o benefício.

Publicidade

Além disso, o governo ainda sancionou o trecho que obriga quem tiver renda declarada no ano de 2020 a devolver o auxílio emergencial. Dessa forma, quem declarar renda em 2021 e recebeu o benefício em 2020 terá que devolvê-lo.

De acordo com o próprio governo, o fato do beneficiário ter que devolver o auxílio se dá pela questão dele ter recuperado a renda durante o ano.

Pois, se a renda dele for superior ao limite da isenção do IR, isso quer dizer que ele não precisou do auxílio emergencial. Ou precisou por um curto período de tempo e já tem condições de devolvê-lo aos cofres públicos.

Publicidade

Portanto, para quem tem renda tributável como aluguel recebido, salário, ou qualquer outro tipo de renda declarada neste ano e recebeu o auxílio emergencial é bom se atentar. Pois, o valor do benefício terá que ser devolvido o ano que vem.


Veja também:


Grande parte dos beneficiários não irão precisar devolver o auxílio

Apesar das restrições impostas pelo governo federal, é bem provável que grande parte dos beneficiários não terão que fazer a devolução do auxílio emergencial em 2021.

Publicidade

Pois, a concessão do benefício está atrelada ao limite da renda. Portanto, é bem possível que a maioria dos beneficiários não tenham renda suficiente durante o ano para ter que devolver o benefício o ano que vem.

Isso somente acontecerá se a pessoa que está recebendo o benefício arrumar um bom emprego neste final de ano, o que deve ser bem difícil devido ao cenário de recesso que o país e o mundo irão enfrentar.

No entanto, para quem conseguir se recuperar financeiramente, o auxílio terá sido um empréstimo valioso. Afinal, foi possível à pessoa se sustentar durante o período de turbulência e depois recuperar a renda.

Para o governo, esse trecho incluído torna o benefício bem mais justo, além de diminuir o impacto causado nas contas públicas. Pois, o auxílio emergencial custou cerca de R$ 51 bilhões mensais para o governo federal.

O auxílio emergencial é destinado para quem realmente precisa

A ideia inicial do auxílio emergencial era ser destinado para famílias que realmente precisam de dinheiro neste momento tão delicado.

Dentre os profissionais considerados vulneráveis estão os autônomos, os MEI´s e os profissionais liberais.

Publicidade

Portanto, se algum desses profissionais se recuperar durante o ano e tiver renda declarada, entende-se que ele pode devolver o benefício para o governo.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.