Auxílio emergencial: confirmado o pagamento de mais 04 parcelas



Anúncios



Anúncios

Na última terça-feira (01) o presidente Jair Bolsonaro confirmou que o auxílio emergencial será estendido em mais quatro parcelas.

No entanto o valor de R$ 600 será reduzido para R$ 300. A oficialização será feita através de uma medida provisória que será divulgada nos próximos dias.

Lembrando que por conta da alteração no valor das parcelas será necessário que o Congresso aprove essa MP para que ela entre em vigor.

Apesar de não ser um valor ideal para grande parte das famílias brasileiras, esse é o valor que o governo conseguiu alocar no orçamento.



Anúncios

A prorrogação do auxílio emergencial

Segundo o presidente da república, esse valor não é suficiente para todas as necessidades de uma família, mas ajuda basicamente a atendê-las.



Anúncios

O valor que foi definido pela equipe econômica (R$ 300), de acordo com Bolsonaro, é 50% maior que o valor pago pelo Bolsa Família.

Por isso, ficou decidido que esse será o valor das próximas 04 parcelas, o que ajudará o governo também a não desrespeitar a responsabilidade fiscal que vem mantendo.

Inicialmente o auxílio emergencial iria ser pago em apenas 3 parcelas no valor de R$ 600, mas com o prolongamento da pandemia ele foi prorrogado para mais duas parcelas.

Agora, para ajudar o país a se recuperar mais rapidamente da crise econômica o governo irá ajudar com mais 04 parcelas no valor de R$ 300.


Veja também:



Anúncios

Curso trilha financeira: aprenda finanças gratuitamente

Dinheiro físico está com os dias contados? Entenda!

Pronampe: profissionais liberais poderão acessar a linha de crédito


Entendendo o auxílio emergencial

O Auxílio emergencial é um benefício que foi criado pelo governo para ajudar as pessoas de baixa renda assim como os profissionais liberais e autônomos durante a crise de coronavírus.

Afinal, esses profissionais possuem uma maior vulnerabilidade visto que não tem segurança financeira pelo fato da sua renda ficar sempre variando.



Anúncios

O benefício foi capaz de ajudar aproximadamente 65 milhões de brasileiros a superar esse momento de maior recessão na economia.

Para se ter uma ideia, a extrema pobreza no Brasil acabou sendo a menor dos últimos 40 anos, o que levou o governo a pensar na criação de um benefício similar após a pandemia: o Renda Brasil.

Se a Câmara dos deputados e o Senado aprovarem a medida provisória, o governo irá pagar o auxílio emergencial até o final deste ano.

Redução do benefício para ser pago por mais tempo

Embora a redução no valor do auxílio emergencial venha sofrendo muitas críticas, a verdade é que ela é necessária para que o benefício seja estendido por mais tempo.

Antes mesmo do anúncio feito pelo presidente, ele já tinha dados sinais de que o valor iria girar em torno de R$ 300. Até porque a equipe econômica já falava em algo próximo dos R$ 200.



Anúncios

Bolsonaro chegou a afirmar que também achava o valor de R$ 200 baixo, mas que o valor de R$ 600 era muito alto para o governo fazer uma prorrogação de mais quatro parcelas.

Até o momento, de acordo com dados fornecidos pela equipe econômica do governo, o benefício já custou aproximadamente R$ 50 bilhões por mês aos cofres públicos.

Agora esse valor deverá cair pela metade, o que ainda é considerado um pouco alto para os técnicos do ministério da Economia.

O anúncio foi feito na última terça-feira (01) no Palácio da Alvorada, em uma reunião onde estavam presentes o ministro da Economia, Paulo Guedes, líderes do governo e políticos aliados.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.



Anúncios