Com a nova alta da Taxa Selic, o financiamento imobiliário fica mais caro!

Com a nova alta da Taxa Selic, algumas instituições financeiras já estão elevando a taxa de juros do financiamento imobiliário, deixando o sonho da casa própria cada vez mais distante de boa parte da população.

Publicidade
Anúncios

Financiamento imobiliário

financiamento imobiliário

O sonho da casa própria se tornou realidade para muita gente nestes últimos meses. Afinal, com a taxa selic na mínima histórica e os preços dos imóveis residenciais estáveis, o cenário estava bastante favorável para o financiamento imobiliário.

Entretanto, por conta da inflação que ameaça sair do controle, o Banco Central precisou realizar diversos aumentos consecutivos na taxa Selic, tornando o sonho da casa própria ainda mais caro e distante de muita gente.

Todavia, era esperado que esse período de euforia fosse passar, e que a tendência de alta dos juros fosse chegar para controlar a crescente inflação. Não é para menos que a Taxa Selic saiu de 2% em janeiro para 5,25% no começo de agosto.

CARTÃO PAGBANK
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO PAGBANK

NEGATIVADO
 
SEM ANUIDADE
Um cartão internacional repleto de benefícios!
Você permanecerá no site atual

Como fica o setor da construção civil?

O setor da construção civil passou novamente por um rápido crescimento após alguns anos de estagnação. A taxa Selic em sua mínima histórica foi um dos impulsionadores do setor, favorecendo assim o financiamento imobiliário.

Anúncios
Publicidade

Todavia, por conta da alta demanda, o preço dos imóveis, assim como dos insumos da construção civil cresceu rapidamente. E para controlar essa inflação o governo viu-se obrigado a aumentar a taxa selic.

Inclusive, tanto para o curto prazo quanto para o médio prazo, a expectativa é que a taxa básica da economia continue subindo, podendo inclusive terminar 2021 em 7,25% ao ano. Diante disso, os bancos já começaram a repassar o custo de captação de recursos para o tomador de crédito.

Publicidade

Veja também:


Bancos privados já começaram a elevar os juros do financiamento imobiliário

O Santander foi o primeiro banco que começou a aumentar as taxas mínimas do financiamento imobiliário. Elas saíram de 6,99% ao ano para 7,99%. Isso aconteceu antes mesmo da última reunião do Copom que elevou a taxa Selic de 4,25% ao ano para 5,25%.

Na sequência, o Bradesco também fez um pequeno reajuste nas taxas de juros que foram de 6,70% ao ano para 6,90%. Contudo, a Caixa Federal, que tem a maior fatia desse mercado, disse que não pretende aumentar as taxas no curto prazo.

No entanto, o fato de não aumentar a taxa de juros não impede o banco de dificultar o acesso às taxas mais baixas, mesmo que elas não sejam oficialmente aumentadas. Cabe a cada instituição financeira avaliar o risco de cada cliente para definir quais taxas serão aplicadas para ele.

Quem tem histórico de mau pagador é mais penalizado

Publicidade

As pessoas que possuem um score de crédito pior, com histórico de dívidas ou mau pagador, geralmente são mais penalizadas durante o processo de concessão de crédito. E para elas, os juros podem ser ainda maiores.

Por isso, esse é o momento de avaliar com mais cuidado se realmente vale a pena a compra de um imóvel, ou se não compensa pagar aluguel por um tempo e juntar mais dinheiro para aumentar o valor da entrada.

No entanto, é preciso ponderar também que os juros futuros possuem mais peso que a própria Selic no momento dos bancos determinarem as taxas de juros do financiamento imobiliário. E o que se vê é uma alta na expectativa desses juros nos últimos 6 meses.

Publicidade

Um dos impactos que isso pode trazer é fazer com que grande parte da população demore mais para conquistar o sonho da casa própria, ou tenha que recorrer a imóveis mais baratos e em localizações menos privilegiadas.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.