Fui afetado pelo vazamento de contas do Facebook?

Na última semana, dados pessoais de 533 milhões de usuários do Facebook, sendo 8 milhões de brasileiros, tornaram-se públicos na internet em mais um caso de vazamento de dados. Entenda!



Anúncios



Anúncios

Vazamento de contas do Facebook

vazamento dados Facebook

O vazamento de dados na internet já estampa as capas de jornais há algum tempo. Agora foi a vez de 533 milhões de usuários do Facebook terem os dados vazados na web. Deles, cerca de 8 milhões eram brasileiros.

Dentre as informações publicamente expostas estavam o nome usado na rede social, e-mail, número do telefone, localização geográfica, informação de trabalho e gênero, dentre outros dados considerados sensíveis.

Essas informações estavam divididas em 106 pastas por países e eram comercializadas em um fórum do cibercrime em troca de créditos dentro da plataforma. Quer saber mais sobre o vazamento de contas do Facebook? Continue com a gente.

Como aconteceu o vazamento de contas do Facebook?

Até setembro de 2019 era possível importar contatos pelo número do telefone e obter as informações necessárias do usuário cadastrados no Facebook. Nessa época, a rede social desativou essa ferramenta de importação de dados.



Anúncios



Anúncios

No entanto, eles foram obtidos por meio de uma técnica chamada de “data scrapping”. Em português isso significa raspagem de dados, e indica uso de soluções automáticas para a coleta de dados públicos.

Mesmo que as informações tenham sido inseridas pelos próprios usuários, e estejam abertas a outros, não torna o fato menos perigoso. Afinal, os dados compilados reúnem todas as informações sensíveis de uma pessoa.

O que os criminosos podem fazer com os dados vazados?

Como as informações estão compiladas em um banco de dados que reúne tudo o que está disponível sobre um determinado indivíduo, elas podem ser usadas de forma efetiva em um ataque que envolve engenharia social, disparos de spam e outros crimes digitais.



Anúncios

Além disso, um bandido pode usar o perfil do Facebook e se passar pelo usuário para captar ainda mais dados dentro da rede social, ampliando ainda mais a abrangência do seu golpe. Por isso esse vazamento é tão perigoso.

Uma outra forma que os criminosos podem atuar é por meio de promessas de ofertas que podem induzir as vítimas a preencherem formulários, entregando inclusive dados financeiros, o que pode ser ainda pior.


Veja também:


Como descobrir se os dados foram vazados?

Quando esse tipo de banco de dados se torna público, ele pode ser acessado por qualquer pessoa, desde criminosos até especialistas em segurança. Dessa forma, um especialista em segurança Troy Hunt, que trabalha para a Microsoft criou o site Have I been Pwned.

Esse site tem por finalidade verificar a presença de usuários que tiveram esse tipo de dados vazados. No entanto, o serviço não dá acesso a todos os dados, mas permite que cada um veja se o próprio e-mail está entre as dezenas de vazamentos que já aconteceram.

Agora, com o vazamento registrado pelo Facebook, a plataforma também aceita números de telefone para checar se os dados foram ou não vazados. O funcionamento dela é bastante simples e fácil de checar.

Cuidados na hora de fornecer dados na internet

Com o aumento dos vazamentos de dados é fundamental tomar diversos cuidados na hora de fornecer informações na internet. Por isso, antes de inserir qualquer dado pessoal verifique a segurança do site.

Além disso, só forneça essas informações se realmente forem necessárias, caso contrário evite ficar expondo seus dados em qualquer formulário. Isso ajuda a evitar o vazamento e também te protege de eventuais crimes.



Anúncios

Para consultar o site e saber se os seus dados foram vazados, basta acessar www.haveibeenpwned.com e inserir o seu e-mail. Para consultar pelo número do telefone é preciso inserir o formato internacional, adicionando o código 55 na frente que é do Brasil.

Gostou deste artigo? Então compartilhe com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.