Qual a diferença entre capital de giro e lucro? Descubra!

Hoje um dos maiores problemas dentro de uma pequena empresa é saber diferenciar capital de giro e lucro. Continue a leitura para mais informações.

Publicidade
Anúncios

Qual a diferença entre capital de giro e lucro?

CAPITAL GIRO

Você é microempreendedor? Então precisamos conversar. Você sabe a diferença entre capital de giro e lucro?

Hoje um dos maiores problemas dentro de uma pequena empresa é saber diferenciar essas duas contas.

Muitos empreendedores têm dificuldade em saber exatamente o quanto a empresa dá de lucro ao final do mês.

Como resultado acabam retirando capital de giro do negócio, levando-o para uma falência precoce.

Anúncios
Publicidade

Mas, qual a diferença entre capital de giro e lucro?

Capital de giro é o dinheiro necessário para garantir a funcionalidade da empresa.

Em outras palavras, é o dinheiro que você vai usar para pagar fornecedores, funcionários, aluguel e outras despesas.

Publicidade

o lucro é o que realmente sobra no final do mês. Portanto, é um valor que pode ser retirado sem comprometer o negócio.

O grande problema é saber exatamente o que é lucro e o que é capital de giro. E para isso é preciso fazer algumas contas.


Veja também:


Como encontro o lucro da empresa?

Publicidade

Para encontrar o lucro é preciso anotar tudo. Todas as suas despesas e todas as suas receitas no mês.

Vamos exemplificar para facilitar o entendimento. Considere que a Valéria, sua amiga, tem uma pequena loja de roupas.

Durante o mês ela vendeu R$ 10 mil reais. Para precificar o produto, Valéria costuma pegar o valor que pagou para o fornecedor e fazer x 2.

Publicidade

Dessa forma, uma camiseta que ela paga R$ 10 vende por R$ 20. Então isso quer dizer que o valor de fornecedores é metade do faturamento dela.

Logo, se ela vendeu R$ 10 mil, terá que pagar R$ 5 mil para fornecedores.

Valéria tem somente um funcionário que ganha R$ 1.500 bruto. Ela ainda paga R$ 500 de aluguel e 5% de imposto no Simples.

Além disso, ela tem que pagar a conta de luz, água, FGTS, INSS e outras despesas que juntas chegam em R$ 700.

Como ela paga 5% de imposto sobre R$ 10 mil, isso dá o valor de R$ 500.

Então, Valéria paga: R$ 500 de imposto + R$ 700 despesas diversas + R$ 500 de aluguel + R$ 1.500 de salário. O que totaliza: R$ 3.200,00.

Publicidade

Se ela vendeu R$ 10 mil, pagou R$ 5 mil para fornecedores, sobrou R$ 5 mil. Pagando todas as despesas de R$ 3.200, sobram R$ 1.800.

Publicidade

Esse é o lucro da Valéria.

Posso então tirar todo lucro do negócio?

Viu como não é difícil encontrar o lucro? No entanto, esse foi um exemplo simples.

Mas, na prática, é preciso fazer uma planilha marcando todas as saídas. E também todas as entradas.

Uma vez que você encontrou o lucro, precisa pensar: posso tirá-lo inteiro? Não preciso investir no negócio?

É importante levantar essas questões. Pois uma parte do lucro deverá ser usada para investir e fazer a empresa crescer.

Publicidade

No exemplo da Valéria, ela poderia guardar R$ 900 e retirar R$ 900. Com isso, no ano, ela estaria investindo R$ 10.800.

Esse investimento iria refletir em mais vendas e consequentemente mais lucro.

E vale a pena tomar empréstimo para investir no negócio?

Assim como é possível investir o lucro, também é possível tomar empréstimo para investir no negócio.

Mas, é importante fazer um planejamento para isso. Ou seja, saber se a taxa de juros do empréstimo será inferior ao lucro gerado.

Nesses casos, o importante é conhecer as linhas disponíveis no mercado.

Publicidade

O Bradesco, por exemplo, possui linhas de crédito bastante atrativas. E com prazos estendidos para os empreendedores.

Publicidade

Essa é uma boa alternativa para quem está querendo expandir mas não possui ainda dinheiro em caixa para isso.

Gostou deste artigo? Então compartilhe ele com seus amigos nas redes sociais.