Dinheiro físico perdendo espaço para o cartão!

Dinheiro ou cartão? Essa simples pergunta retrata bem o uso o dia a dia dos brasileiros, que estão utilizando cada vez mais o cartão em suas compras. Talvez seja o fim das notas e o início da era oficial da conta digital e cartão de crédito.



Anúncios



Anúncios

Pagamentos estão sendo feitos no cartão

Em nosso dia a dia, é muito comum sacarmos logo o cartão de crédito ou débito para efetuarmos o pagamento das nossas compras, não é mesmo? Saiba que essa realidade será ainda mais presente na sociedade, já que os consumidores estão mais propensos a usarem o cartão em vez do dinheiro.

A pandemia do coronavírus fez com que as pessoas tivessem que passar mais tempo em casa, resolvendo a maioria dos seus compromissos pela internet. Até mesmo os trabalhos presenciais passaram a ser via home office, para estimular o distanciamento social.

Tudo isso contribuiu para acelerar os processos digitais em diversos setores da sociedade, fazendo com que as pessoas se acostumem ainda mais com essas ferramentas – é o que aponta o relatório global da companhia Worldpay from FIS . Saiba mais sobre esse assunto aqui!


Veja também em:



Anúncios


Consumidores estão usando o cartão de maneira mais frequente

Alguns anos atrás, quando se falava em cartão de crédito, a maioria das pessoas tinham uma certa resistência a ele, quase como se fosse um vilão. Com o tempo, o cartão foi ganhando cada vez mais adeptos, diminuindo o número de pessoas que não possuem o famoso “dinheiro de plástico”.



Anúncios

Apesar de prático, é preciso usá-lo com disciplina a fim de que os gastos não se excedam e o que era um aliado, se torne um opositor das finanças.

O que dizem os especialistas no assunto?

Como mencionamos no começo do artigo, a Worldpay from FIS, uma das maiores companhias de tecnologia dos meios de pagamento do mundo, emitiu um relatório sobre a forma que os consumidores têm lidado com o dinheiro físico e o cartão de crédito.

Para se ter uma ideia, a pesquisa afirmou que no ano de 2020, as cédulas foram utilizadas apenas em 20,5% do total de transações nos pontos de venda, representando 32,1% se comparado aos resultados de 2019.

No Brasil, entre as pessoas acima de 16 anos que não possuem nenhuma conta em banco, o dinheiro também não foi utilizado como forma de pagamento das compras, representando apenas 35% das transações, contra 47% em 2020.

O Brasil está à frente de mercados mais modernos como o da Alemanha, onde os consumidores ainda preferem utilizar o dinheiro em 44% das vendas – como afirma Juan Pablo D´Ántiochia, o gerente-geral da Worldpay from FIS da América Latina.



Anúncios

Apesar da estatística mostrar que o cartão de crédito é um dos meios de pagamento mais utilizados no momento, ele tende a cair nos próximos três anos, abrindo espaço para outras formas de pagamento, tais como as carteiras digitais e os cartões de débito, com uma projeção de crescimento até o ano de 2024.

E os pagamentos via PIX?

O Pix é um meio rápido e instantâneo de receber e fazer pagamentos, ganhando a aderência de cerca de 30% da população brasileira. As pessoas físicas podem registrar até cinco chaves, enquanto as pessoas jurídicas podem cadastrar até 20 chaves, que são como códigos que permitem a transferência dos valores.

O Pix foi criado pelo Banco Central do Brasil, com o fim de facilitar as transações bancárias dos clientes. Com isso, os depósitos via TED e DOC diminuíram, bem como as cobranças de tarifas.

O Pix ainda não realiza grandes transferências bancárias e nem divide em parcelas como forma de pagamento.

Usando apenas o celular com acesso à internet, é possível acessar o aplicativo do seu banco e realizar inúmeras atividades – com apenas um clique.



Anúncios

E você, qual método de pagamento mais gosta de usar: cartão de crédito, débito, Pix ou transferência bancária? Clique no botão abaixo e faça parte do mundo tecnológico abrindo a sua conta digital!