Economia verde: a pegada para atrair a iniciativa privada!

Economia Verde deveria ser o caminho traçado pelo Brasil para atrair investimentos privados e voltar a crescer de forma mais sólida e sustentável. Entenda a seguir.

Publicidade
Anúncios

Economia verde

Uma das questões mais comentadas para alavancar a economia brasileira nos próximos anos é a chamada economia verde.

Estudos recentes apontaram que esse deveria ser o caminho traçado pelo Brasil para atrair investimentos privados e voltar a crescer de forma mais sólida e sustentável.

Recentemente o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, afirmou que essa mudança já está em curso na carteira de projetos e ações do governo.

De acordo com o ministro as ações da pasta deverão deixar de ser majoritariamente pública para atrair cada vez mais parceiros privados.

Anúncios
Publicidade

E para atrair esses parceiros, a aposta é a certificação verde de toda a carteira de projetos que será coordenado pelo ministério.

Economia verde será essencial para atrair investidores

O ministro Marinho chegou a afirmar que o governo vai passar a cumprir uma série de requisitos para que todos os projetos apresentados pelo ministério às empresas sejam classificados como investimentos sustentáveis.

Publicidade

Embora tenha hoje bastante sobra de recursos no mercado, a maioria desses investidores está mais propenso a alocar esses recursos em projetos sustentáveis.

Dessa forma, o governo pretende juntar as duas necessidades que é atrair investimentos privados para alavancar a economia e ao mesmo tempo zelar pela sustentabilidade e pelo respeito ao meio ambiente.

Na última terça-feira (01) foi dado o primeiro passo nessa direção. O governo assinou um memorando com a Climate Bonds Initiative (CBI) que é uma organização internacional sem fins lucrativos que faz certificações de projetos sustentáveis.

Publicidade

Desse modo, com o selo verde, fica mais fácil das empresas conseguirem acessar financiamentos mais baratos no mercado. Até o final do ano o governo pretende ter um cronograma para a implantação do acordo.


Veja também:


Investimentos privados e investimentos públicos

Recentemente o ministro Marinho esteve no centro de uma crise interna do governo sobre a alocação de mais recursos públicos em obras de infraestrutura.

Publicidade

Até então, o pensamento de Marinho era amparado no economista John Maynard Keynes que defende um maior gasto público em crises para evitar uma recessão maior.

Todavia, a atual equipe econômica do governo vai em outra linha de pensamento. Paulo Guedes, ministro da Economia, chegou a afirmar que é necessário investir em infraestrutura, mas com capital privado.

Segundo Paulo Guedes, se o governo passar a ampliar o gasto público em obras de infraestrutura abrirá espaço para outros gastos pois haverá o rompimento do teto dos gastos.

Isso poderá fazer o Brasil enfrentar um recesso econômico mais para frente ainda pior do que passamos nos anos de 2015 e 2016.

E de acordo com alguns estudos, para conseguir atrair esse capital privado para projetos de infraestrutura será necessário investir em projetos sustentáveis.

Economia verde em alta

O Brasil é uma grande aposta quando o assunto é sustentabilidade e meio ambiente. Afinal, o país possui uma das mais completas e modernas legislação de proteção ambiental.

Publicidade

Agora com a contratação de uma consultoria via Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, a ideia do país é reforçar o seu compromisso com o meio ambiente, melhorando inclusive a imagem no exterior.

Publicidade

Portanto, ao manter a pegada de governança, sustentabilidade e meio ambiente, o governo conseguirá atrair mais capital privado o que possibilitará um crescimento mais rápido do Brasil no pós crise.

Esse foi um importante passo dado, no entanto será necessário estruturar todo o projeto para que no ano de 2021 o país consiga realmente tirar as obras do papel.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.