G10 das favelas vai lançar o G10 Bank. Entenda!

O G10 das favelas vai lançar o seu banco digital, o G10 Bank. Ele vai proporcionar a inclusão financeira das comunidades brasileiras, que têm enorme potencial de consumo. Saiba mais a seguir.



Anúncios



Anúncios

Conheça o G10 Bank

G10 Bank

Muito em breve o G10 das favelas vai lançar o G10 Bank com a proposta de ser o banco digital de todas as comunidades brasileiras, aumentando assim a inclusão financeira no Brasil.

A fintech é um projeto antigo do coordenador nacional do G10 das favelas, Gilson Rodrigues, e pretende levar mais educação financeira e inclusão bancária para as comunidades pobres do país, onde estão a maioria dos desbancarizados.

Para sair do papel, a iniciativa ainda precisa da aprovação do Banco Central e de um aporte estimado em R$ 1,8 milhão que deverá ser integralizado por empresários e famílias dispostas a investir no projeto. Quer saber mais? Continue por aqui.

Como funciona o G10 das favelas?

O G10 das favelas é um projeto que tem por missão ajudar no desenvolvimento econômico dando mais protagonismo às comunidades brasileiras. Ele é um bloco de líderes e empreendedores de impacto social nas favelas.



Anúncios

A ideia é fazer com que toda a população brasileira olhe para essas comunidades de maneira diferente. Até porque elas possuem um imenso potencial de consumo, podendo ser grandes pólos de investimento.



Anúncios

Gilson Rodrigues, coordenador do projeto, enaltece que a intenção não é fazer arrecadações de doação e patrocínio, mas sim, obter investimentos que possam gerar retorno para o investidor e para a comunidade.

Atualmente, o G10 das favelas está presente em 181 territórios através das lideranças locais. São várias as iniciativas que já estão sendo feitas como: centro de acolhimento, fortalecimento do comércio local e ambulância privada 24 horas.


Veja também:


Como será o G10 Bank?

Para proporcionar uma inclusão maior dos moradores, Gilson Rodrigues sempre teve um sonho de criar um banco digital das favelas. Agora, ao que parece, esse sonho está cada vez mais próximo de sair do papel.

A empresa de Focaccia, Amaral e Lamonica Advogados, está dando todo suporte para a criação do G10 Bank. A intenção é atuar como uma Sociedade de Crédito Direto (SCD). Nesse modelo, os empréstimos e financiamentos são feitos com capital próprio.



Anúncios

Ao todo, deverão ser levantados R$ 1,8 milhão junto a empresários e famílias que queiram fazer um investimento de impacto. Gilson Rodrigues quer tornar o G10 Bank, o banco oficial de todas as comunidades brasileiras.

Sendo assim, a intenção do novo banco não é apenas oferecer contas para pessoa física, mas também para os pequenos comerciantes locais, proporcionando a eles um desenvolvimento mais sólido dos seus negócios.

Como o projeto será implementado?

A princípio será feito um projeto piloto na comunidade de paraisópolis, zona sul da cidade de São Paulo. Assim que o App estiver pronto, ele deverá ganhar escala, podendo ser usado por qualquer pessoa de qualquer comunidade brasileira.

Gilson Rodrigues acredita que as favelas possuem um enorme potencial sócio-econômico. O que falta para eles é uma maior democratização no acesso tanto à internet quanto ao sistema bancário que hoje exclui as classes D e E.

Para suprir essa deficiência, o G10 Bank oferecerá todos os serviços bancários como transferências, pagamentos de boleto, depósitos, retiradas e até mesmo empréstimos pessoais e cartão de crédito.



Anúncios

Além disso, a ideia futura é ir um pouco mais além e ensinar aos moradores da favela um pouco mais sobre educação financeira que é um tema bastante carente dentro dessas comunidades brasileiras.

Apesar do rápido crescimento dos bancos digitais e da digitalização dos bancos tradicionais, ainda há uma certa carência na inclusão bancária da população dessas comunidades. E é isso que o G10 Bank pretende mudar.

Gostou desta matéria? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais.