Após 8 meses de queda, juros do cartão de crédito voltam a subir!

Entenda os motivos pelos quais a taxa de juros do cartão de crédito e do cheque especial voltaram a subir, depois de meses em queda.

Publicidade
Anúncios

Juros do cartão de crédito voltam a subir

Juros

Após registrar 8 meses de queda, a taxa de juros do cartão de crédito e do cheque especial voltaram a subir em dezembro de 2020.

De acordo com a Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac), as seis linhas de crédito pesquisadas para pessoa física tiveram aumento na taxa de juros em dezembro.

Segundo Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo de estudos e pesquisas da Anefac, diversos fatores contribuíram para essa alta na taxa de juros.

Quer saber quais são esses fatores? Então continue por aqui só mais três minutinhos.

Anúncios
Publicidade

Quais fatores contribuíram para aumentar os juros?

De acordo com o executivo da Anefac, a expectativa de novas elevações da taxa básica de juros (Selic) foi um dos fatores determinantes para o aumento dos juros do cheque especial e do cartão de crédito.

Além disso, também houve um aumento dos juros futuros e a expectativa com a provável elevação dos índices de inadimplência com o fim das carências nos empréstimos.

Publicidade

Junte-se a isso, o desemprego alto, o fim do auxílio emergencial, a elevação da inflação e seus efeitos sobre a renda e a maior seletividade dos bancos na concessão de crédito.

Ou seja, esses fatores irão impactar diretamente no aumento da inadimplência, o que colabora para o aumento dos juros pagos pelas pessoas físicas.

Como ficaram os juros médios para a pessoa física?

Segundo a pesquisa, a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 0,91% no ano, passando de 5,51% em novembro para 5,56% em dezembro.

Publicidade

Os juros do cartão de crédito acompanharam a mesma alta de 0,91% e passaram de 10,97% ao mês em novembro para 11,07% ao mês em dezembro.

Já o cheque especial se elevou um pouco menos, crescendo 0,86% no ano e passando de 6,96% em novembro para 7,02% em dezembro.

Também houve aumento no juros do empréstimo pessoal concedido pelos bancos às pessoas físicas. A elevação foi de 0,64% no ano.

Publicidade

Portanto, os juros passaram de 3,10% ao mês em novembro para 3,14% ao mês em dezembro. Essa é a maior taxa desde agosto de 2020.

Os juros do empréstimo pessoal concedido pelas financeiras também aumentou. No entanto, nesse caso a elevação foi menor, de 0,49% ao ano. Dessa forma, a taxa saiu de 6,14% em novembro e foi para 6,17% em dezembro.

Por fim, também houve elevação na taxa de juros do comércio, que saiu de 4,62% ao mês em novembro para 4,64% ao mês em dezembro.


Veja também:


Mais atenção no momento de tomar um empréstimo

Com o aumento na taxa de juros em praticamente todas as modalidades de empréstimo, é preciso que o consumidor redobre a atenção antes de tomar um crédito.

Fazer análise comparativa entre as linhas existentes e as diversas instituições financeiras, é essencial para economizar dinheiro ao longo do período.

Publicidade

Além disso, é preciso fazer um bom planejamento para não se atrapalhar com o valor da parcela, pagando multas e juros de mora sobre o atraso.

Publicidade

Uma boa opção para quem está precisando de dinheiro é o empréstimo com garantia que tem uma taxa de juros menor.

Caso isso não seja possível, o empréstimo pessoal ainda continua sendo uma opção interessante, sendo que o Banco Pan possui uma boa linha de crédito.

Seja qual for a sua escolha, procure ter bastante cautela nesse momento, e somente tome o valor necessário emprestado para minimizar o impacto dos juros no seu orçamento.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com seus amigos e parentes nas suas redes sociais.