Mercado Pago – BC autoriza a emissão de cartão de crédito!

Publicidade
Anúncios

Agora além do cartão pré-pago, os clientes do mercado pago poderão solicitar também um cartão de crédito. A empresa foi autorizada pelo Banco Central para prestar serviços relativos às modalidades de emissor de instrumento de pagamento pós-pago.

Em outras palavras, a fintech poderá começar a emitir cartão de crédito. Além disso, o banco também conseguiu a licença para atuar como credenciador que é a instituição que assina contrato com o estabelecimento comercial para aceitação de cartão de pagamento.

Atualmente o Mercado Pago atua como uma fintech de recebimento e pagamento. Contudo, o aplicativo da empresa assemelha-se ao dos bancos digitais. Sendo que é possível transferir dinheiro para outras contas do mercado pago, bem como transferir o dinheiro para uma conta própria em qualquer instituição bancária.

Os clientes também contam hoje com o cartão pré-pago que funciona na opção crédito, porém os valores descontados precisam estar disponíveis no aplicativo.

Anúncios
Publicidade

Haverá expansão para outros produtos

Com essa licença, o Mercado Pago conseguirá explorar mais oportunidades, segundo o Mercado Livre, empresa que mantém a fintech.

Ainda de acordo com a companhia, a ampliação do portfólio se dará em produtos que beneficiarão tanto compradores quanto vendedores. A empresa em uma nota publicada disse: “Com isso o Mercado Pago segue fomentando a inovação e a inclusão financeira, a partir do desenvolvimento de soluções mais acessíveis para a população brasileira”.

Publicidade

Embora a licença já tenha sido aprovada, o lançamento oficial do produto ainda não tem data para acontecer, mas certamente não irá demorar, pois há uma briga bastante intensa por essa fatia de mercado.


Veja também:


A população desbancarizada é o alvo do Mercado Pago

Assim como outras fintechs de crédito, o Mercado Pago está de olho nos 60 milhões de brasileiros que não possuem conta em banco. Isso representa cerca de 40% da população economicamente ativa do país.

Publicidade

O número tornou-se assim expressivo devido ao recesso econômico pelo qual passamos em 2015 e 2016. Para agravar a situação, o crescimento nos últimos três anos foi muito aquém do esperado, colaborando para o aumento do desemprego e consequentemente para a queda da renda agregada.

Desse modo, diante da falta de renda, muita gente acaba não conseguindo honrar os seus compromissos, fazendo com que passem a possuir restrição no CPF. Quando isso acontece o banco simplesmente corta o crédito da pessoa.

Sem crédito, e muitas vezes com dívida no próprio banco, o caminho que muitos encontraram foi perder a relação com o banco. Como já antecipamos, esse cenário abrange cerca de 40 milhões de brasileiros.

Publicidade

Com o objetivo de preencher este espaço foi que surgiram as fintechs de crédito. Uma das principais características delas é a desburocratização, modernização, facilidade de uso e custo dos serviços financeiros.

Foi justamente para tentar abocanhar essa fatia de mercado que o Mercado Livre começou a aprimorar os serviços oferecidos pelo mercado pago. Os produtos ainda ficam aquém dos oferecidos por um banco digital, mas com as novas licenças muita coisa pode mudar.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia com seus amigos nas redes sociais.