WhatsApp Pay: mudança nas regras, como fica agora?

O funcionamento do WhatsApp Pay no Brasil sofreu alterações pelo Banco Central, as bandeiras Visa e Mastercard suspenderam o uso para pagamentos e transferências.

Publicidade
Anúncios

WhatsApp Pay

WhatsApp Pay

Nos últimos dias o que mais se falava era sobre o WhatsApp Pay, uma nova maneira de transferir dinheiro para os amigos.

Tudo estava indo muito bem, a novidade chegando nas pessoas, até que aos 45 do segundo tempo, o Banco Central decidiu alterar as regras. Seria essa decisão motivada por medo do WhatsApp emplacar mais do que o Pix?

Difícil dizer, mas é o que parece. O Banco Central, mudou nos últimos dias uma circular de número 3.682 de 4 de novembro de 2013, algo difícil de acontecer.

Com isso, foi determinado que Visa e Mastercard suspendesse o uso do WhatsApp para pagamentos e transferências. Na prática, sem as duas bandeiras não há como o aplicativo do Facebook funcionar no país.

Anúncios
Publicidade

BC alega preservação do ambiente competitivo

Para justificar a decisão, o Banco Central alegou que ela foi necessária para preservar um adequado ambiente competitivo.

Desse modo, isso irá assegurar o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro, transparente, aberto e barato.

Publicidade

No entanto, é possível ver as motivações reais do BC. Não precisa ser muito perspicaz para entender que a preocupação é justamente o alcance que o WhatsApp possui, o que poderia ameaçar a competição no país.

Além disso, há quem diga que os reguladores estariam preocupados com a segurança de dados dos clientes. 

No entanto, os mais perspicazes enxergam que a principal motivação do Banco Central foi proteger o PIX, que será lançada no mês de novembro deste ano. Essa é a plataforma de transferência instantânea do Banco Central.


Publicidade

Veja também:


Barrar o WhatsApp Pay foi um verdadeiro retrocesso

Na prática, o que o BC fez foi barrar a inovação no país. Afinal, tanto a Visa quanto a Mastercard estavam trabalhando nessa solução tecnológica a mais de um ano e meio, e de uma hora para outra, tudo foi para o espaço.

As duas bandeiras estavam implementando a solução de cloud token, onde as informações de segurança ficariam nas nuvens. Dessa forma, o WhatsApp seria apenas o canal e o arranjo de pagamento feito pelas bandeiras.

Publicidade

Como nesse caso o token fica nas nuvens, as transferências podem ser feitas através de qualquer dispositivo que tenha o WhatsApp.

No mercado financeiro, há quem diga que o projeto foi barrado por pressão dos grandes bancos, embora um executivo que conheça o negócio afirme que nesse caso específico não foi isso que aconteceu.

Como fica agora a situação do WhatsApp Pay?

Não é de hoje que todos os agentes financeiros têm medo da entrada de uma big tech no mercado. Mas, muitas vezes isso é inevitável, e se não pode vencê-los, junte-se a eles.

Por isso, apesar da derrota temporária, muitas águas ainda vão rolar por debaixo dessa ponte. Por enquanto, Visa e Mastercard disseram em nota que irão cumprir a solicitação do Banco Central.

A Mastercard acrescentou ainda que está focada no desenvolvimento de um ambiente de pagamentos mais inovador, inclusivo, seguro e competitivo para os consumidores brasileiros.

Já a Visa disse que manterá o trabalho para criar soluções inovadoras que irão acelerar a adoção de pagamentos digitais, que beneficiará indivíduos, empresas e a economia de modo geral.

Publicidade

Essa decisão ainda mostra como o nosso país precisa progredir em leis que facilite a inovação e o empreendedorismo no país. Não há, portanto, um ambiente propício para o investimento externo e o fomento. Ao menos por enquanto.

Publicidade

Desse modo, as regras podem ser criadas, e também podem simplesmente serem mudadas. Por hora, temos que nos contentar em voltar atrás e esperar um novo sistema de pagamentos instantâneos.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.