O que é o open banking anunciado pelo Santander?

Um novo futuro está nascendo neste ano no Brasil. Trata-se do Open Banking que é um sistema financeiro aberto, gratuito e seguro, no qual qualquer pessoa poderá compartilhar todos os seus dados.

Publicidade
Publicidade

Open Banking

Open Banking

Já imaginou um sistema financeiro aberto, gratuito e seguro para você compartilhar os seus dados? Esse sistema é o Open Banking que foi anunciado recentemente pelo Santander e que já está começando no Brasil.

Com ele, uma instituição financeira pode acessar o seu histórico em outras instituições, desde que você permita isso. Como resultado, fica mais fácil você poder trocar de banco sem perder todo o histórico de relacionamento que você já tinha.

Esse novo sistema entrou em vigor em fevereiro deste ano, mas o compartilhamento dos dados será permitido somente após o dia 15 de julho. A partir de então você poderá trocar de instituição financeira, sem ter que construir novamente todo relacionamento com o banco.

CARTÃO SANTANDER SX
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO SANTANDER SX

SEM ANUIDADE
 
RECOMPENSAS
Cartão de crédito com limite mínimo de R$ 250
Você permanecerá no site atual

Como funciona o Open Banking?

Open Banking traduzido ao português significa Banco Aberto. Ou seja, os seus dados podem ser acessados por qualquer banco. Tudo isso começou com o Pix, e está evoluindo agora. A tendência é que até o final do ano teremos um Open Banking bem completo.

Anúncios
Publicidade

É importante lembrar que o compartilhamento de dados entre as instituições financeiras só acontece se você autorizar. Portanto, se você não quiser que um banco informe os seus dados para outro banco não tem problema.

Além disso, se você permitir o compartilhamento de dados e depois quiser cancelar, também pode. Lembrando que esse compartilhamento vai acontecer em quatro fases, sendo que a primeira começou em fevereiro.

Publicidade

Veja também:


Quais são as quatro fases de implementação do Open Banking?

A primeira fase começou no dia 01 de fevereiro, e os dados compartilhados nela são das próprias instituições financeiras, com informações sobre canais de atendimento, produtos e serviços.

Já a segunda fase está prevista para o dia 15 de julho. Nela você pode compartilhar os seus dados cadastrais e informações de contas bancárias, como depósito, poupança, pagamento, cartão de crédito e operações de crédito.

Na terceira fase, que está prevista para dia 30 de agosto, você poderá solicitar uma autorização de pagamento e encaminhamento de proposta de operação de crédito. A quarta e última fase está prevista para ser implementada no dia 15 de dezembro.

Publicidade

Nela, outros dados poderão ser compartilhados como operações de câmbio, investimentos, seguros e conta-salário. Assim que essa última fase estiver concluída o Open Banking estará praticamente completo no país.

Quais as principais vantagens do Open Banking?

A principal vantagem do Open Banking é que você passa a ter mais controle da sua vida financeira, sendo que vai poder gerenciar tudo de um só lugar. Além disso, fica mais fácil de você conseguir ter um cartão de crédito ou empréstimos em outras instituições.

A participação no Open Banking é obrigatória para as maiores instituições financeiras do Brasil a partir da fase 1. Já na fase 3 a obrigatoriedade se estende para todas as instituições detentoras de contas, transações de pagamentos, e com contrato de correspondente pelas instituições financeiras e de pagamentos que são reguladas pelo Banco Central.

Publicidade

As outras instituições podem participar de forma voluntária, contudo se a partir da fase 2 elas decidirem receber dados dos clientes, então torna-se obrigatório a sua participação no Open Banking. Interessante, não é mesmo?

Open Banking é o mesmo que Pix?

Apesar de serem parecidos, o Open Banking e Pix são coisas distintas. Pix é uma plataforma de pagamento e recebimento, onde você pode cadastrar uma chave para realizar operações de transferência a qualquer hora gratuitamente.

Já o Open Banking vai permitir o compartilhamento de dados e serviços entre as instituições financeiras. E, conforme já dissemos, isso vai democratizar ainda mais o crédito no país, e até mesmo colaborar para a queda na taxa de juros praticada pelos bancos.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.