Pagamentos digitais crescem durante a quarentena

Com o isolamento social modificou sensivelmente o comportamento dos consumidores. Os pagamentos digitais cresceram durante a quarentena.



Anúncios



Anúncios

Pagamentos digitais

banco digital

Se os meios de pagamento já estavam mudando, com a chegada do coronavírus eles rapidamente se transformaram. Uma pesquisa realizada pela Kantar revelou que 75% dos entrevistados fizeram pagamentos digitais durante a quarentena.

A pesquisa que foi encomendada pela Mastercard entrevistou 508 pessoas. Desse modo, a mudança de comportamento que já vinha acontecendo sofreu, portanto, uma brusca aceleração por conta do isolamento social.

João Pedro Paro, presidente da Mastercard, destaca que essa é uma realidade que veio para ficar. Não há mais como acreditar que tudo voltará a ser como antes. Algumas tendências foram, portanto, aceleradas.

Uso de aplicativos para pagamentos digitais

A maioria dos pagamentos digitais realizados pelos entrevistados aconteceu por uso de apps. Desse modo, 72% deles fizeram uma transferência por um aplicativo, 68% pagaram contas e 75% consultaram extratos ou saldo da conta.



Anúncios



Anúncios

O que chamou a atenção de 82% dos entrevistado foi a rapidez da transferência e a confirmação imediata. Além disso, 48% disseram que a facilidade de usar a tecnologia em qualquer lugar foi o que chamou a atenção.

Para 40% dos entrevistados o sistema é interessante, pois torna-se uma alternativa para quando saem de casa sem a carteira física.

No entanto, 72% dos entrevistados disseram que o uso dos aplicativos precisa ser liberado nos transportes públicos, pois muitas vezes precisam ganhar tempo enquanto estão no caminho para casa.



Anúncios

Já 56% dos entrevistados gostaram de dividir a conta com outras pessoas, uma função que diversos aplicativos estão disponibilizando para seus usuários.

Pagamento em tempo real também chamou a atenção dos entrevistados

Um ponto que chamou bastante a atenção dos entrevistados foi o pagamento em tempo real. Dessa forma, 75% das pessoas disseram que gostariam que esses pagamentos fossem realizados independentemente dos bancos ou contas digitais envolvidos na transação.

Além do mais, 52% dos entrevistados dizem temer a perda do smartphone e com isso perder também os dados armazenados no aplicativo. Há ainda uma forte crença de que os dados ficam armazenados no celular.

São poucas as pessoas, porém, que sabem realmente que os dados ficam armazenados em nuvens, sendo possível manusear o aplicativo de qualquer outro aparelho.

Portanto, é possível ver que diversas pessoas que nunca tiveram contato com a tecnologia antes, estão começando a acessar bancos digitais, aplicativos de pagamento, dentre outras modalidades.


Veja também:


Pagamentos digitais irão aumentar ainda mais

Independentemente da pandemia chegar ao fim ou não, a verdade é que os pagamentos digitais irão somente aumentar nos próximos anos.



Anúncios

Para se ter uma ideia, o Nubank que possui como público alvo jovens, viu um crescimento de 20% em sua clientela com mais de 60 anos. Isso mostra que até as pessoas menos familiarizadas com a tecnologia estão mudando.

É bem possível que em aproximadamente dez anos, o papel moeda torne-se algo do passado. Os cartões de plástico, hoje bastante comuns, também deverão dar espaço para outros meios de pagamento como o QR Code.

O PicPay por exemplo, já está testando uma tecnologia de reconhecimento facial, para gerar ainda mais segurança nos pagamentos. Ou seja, basta somente ter o celular para fazer o pagamento de uma compra.

São revoluções como essas que estão colocando em xeque os meios de pagamentos tradicionais. Inclusive, obrigando os bancos a se reinventarem nesse sentido.

Portanto, a pandemia de coronavírus não veio para mudar os hábitos de pagamento da população, mas sim, acelerar um processo que já vinha acontecendo naturalmente e que agora se intensificou.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.