Pesquisa diz que 62,5% dos lojistas participarão da Black Friday. Entenda!

Apesar da inflação de custos que circunda o país, a Black Friday de 2021 deverá ser mais expressiva que a última edição. Uma pesquisa recente da Alshop mostrou que 62,5% dos associados pretendem participar das promoções.

Publicidade
Anúncios

Black Friday

Black Friday participantes

Uma recente pesquisa da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), realizada em todo país, mostrou que 62,5% dos 1,2 mil associados farão promoções em seus pontos de venda durante a Black Friday.

No entanto, 18,8% dos entrevistados disseram que gostariam de participar da data, entretanto não conseguirão devido ao aumento de custos que estão pressionando os preços e as margens de venda.

Além disso, 12,5% dos entrevistados disseram que não vão participar da Black Friday e 6,2% dos empresários ouvidos afirmaram que participarão apenas em promoções via internet por meio de plataformas de e-commerce.

CARTÃO MÉLIUZ
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO MÉLIUZ

CASHBACK
 
SEM ANUIDADE
Receba de volta parte do dinheiro que gastar
Você permanecerá no site atual

Como será a Black Friday de 2021?

O ano de 2021 foi marcado pelo aumento da inflação que já vinha crescendo desde o ano passado. Isso fez o poder de compra da população cair e por isso muitas pessoas deverão mudar o mix de compras neste ano.

Anúncios
Publicidade

Ao invés de optar por produtos de luxo, a grande maioria das pessoas devem aproveitar a promoção para comprar itens de primeira necessidade. Por isso, a expectativa da Alshop em relação à data é bastante positiva.

De acordo com o diretor institucional da Alshop, Luís Augusto Ildefonso, o varejo está se erguendo aos poucos e mesmo diante da alta dos preços, há bastante otimismo para essa fase. Sendo assim, a Black Friday de 2021 deverá superar a de 2020 em 5%.

Publicidade

Ildefonso destaca que mesmo com a alta do dólar e o aumento de custos indiretos, os consumidores poderão esperar descontos significativos, embora não devam ser tão generosos quanto nos anos anteriores.

Para os consumidores que esperaram todo o ano para comprar um smartphone, eletrodoméstico ou qualquer outro produto, essa pode ser uma boa alternativa, uma vez que esses produtos deverão estar a preços bastante atrativos.


Leia também:


Lojistas precisam ter atenção ao limite de desconto

A Federação do Comércio (Fecomercio) de São Paulo alertou os lojistas para se atentarem no momento de conceder o desconto para atrair os consumidores. Afinal, é preciso fazer bem as contas para não comprometer o fluxo de caixa.

Publicidade

Ainda mais que estamos passando por um cenário de incertezas econômicas, com indicadores de consumos deteriorados, desemprego em  alta, inflação, queda no poder de compra da população e crédito muito mais caro.

A entidade também destaca que haverá uma oferta mais escassa de bens duráveis, como eletroeletrônicos e eletrodomésticos, afinal os insumos necessários para a fabricação destes produtos estão com preços bem mais altos.

Segundo a Fecomercio, com a retomada econômica houve um crescimento significativo da demanda que atingiu a logística de transporte com o número de contêineres, navios e aviões não aumentando na mesma proporção e não dando conta dos pedidos.

Publicidade

Guia para ajudar os comerciantes

Para impulsionar as vendas neste ano, a Alshop elaborou um guia para ajudar os lojistas a buscarem alternativas para alavancar as vendas. A associação orienta para aproveitar o alcance das redes sociais.

Afinal, muitos empreendedores, principalmente aqueles que possuem apenas um negócio físico, ainda não conseguem ver a real necessidade de usar as redes sociais ao seu favor. Por isso, é preciso considerar a ideia de investir em anúncios para impactar mais usuários.

Outra dica que o guia traz é oferecer descontos reais, uma vez que o período também é visto com desconfiança por grande parte dos consumidores, uma vez que no passado, muitos comerciantes subiam o preço para aplicar os descontos.

Por fim, outro ponto importante é garantir que o treinamento da equipe esteja em dia para que não haja falhas no processo. As respostas aos clientes via WhatsApp, e-mail, redes sociais e todo suporte pós-venda devem transmitir credibilidade para o público.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.