Procura por crédito cresce 7,2% em janeiro. Entenda!

A procura por crédito cresceu 7,2% em janeiro deste ano na comparação com janeiro do ano passado, de acordo com levantamento feito pela Serasa Experian. A maior alta foi na região Centro-Oeste, com crescimento de 16%.

Publicidade
Anúncios

Crédito

aumento pedido emprestimo

No mês de janeiro deste ano, houve um aumento de 7,2% na procura por crédito na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os dados foram divulgados no último dia 14 de fevereiro pela Serasa Experian.

Dentre os motivos que fazem aumentar a busca por crédito no início de ano, estão os gastos com IPVA, IPTU, material escolar e matrícula escolar. Afinal, esses gastos, apesar de terem todos os anos, são encarados como imprevistos por muita gente.

Contudo, embora a procura por crédito tenha aumentado na comparação com janeiro do ano passado, ela é a menor desde outubro de 2021. Quer saber mais sobre o aumento na procura por crédito? Então vem com a gente neste post.

SERASA EXPERIAN
CARTÃO DA CONTA DIGITAL

SERASA EXPERIAN

NEGATIVADO
 
FÁCIL ACEITAÇÃO
Um clube repleto de vantagens para você!
Você permanecerá no site atual

Aumento na procura por crédito

Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, o principal motivo que fez aumentar a procura por crédito neste início de ano foram os gastos como IPVA, IPTU e materiais escolares.

Anúncios
Publicidade

O economista ainda ressalta que os consumidores precisam fechar as contas do fim do mês e recorrem ao recurso financeiro para não ficar no vermelho. Contudo, devido às altas taxas de juros, o acesso ao crédito está mais caro.

Dessa forma, mesmo as pessoas precisando de mais dinheiro, o mês de janeiro registrou o menor percentual dos últimos três meses. Ou seja, muita gente deixa de tomar um empréstimo em virtude dele estar mais caro.

Publicidade

De acordo com os dados da Serasa Experian, as maiores altas na busca por crédito aconteceram no Centro-Oeste (16%), vindo na sequência as regiões Norte (14,5%), Sul (9,8%), Sudeste (5,4%) e Nordeste (3,7%).


Veja também:


Acesso ao crédito está mais caro

Conforme dissemos, o acesso ao crédito está mais caro neste início de ano. Um dos principais motivos para isso foram as sucessivas altas na taxa Selic, sendo a última no começo deste mês.

A taxa Selic que há um ano estava em 2,5% já ultrapassou os dois dígitos e hoje está em 10,75%. As altas na taxa básica de juros da economia visam controlar a pressão inflacionária que foi bastante alta no ano passado.

Publicidade

A expectativa do mercado, segundo o último Boletim Focus, é de que a taxa Selic chegue a 12,25% neste ano. Ou seja, o crédito se tornará ainda mais caro, o que exige um grande cuidado para quem está precisando de dinheiro.

Normalmente, as taxas de juros de empréstimos bancários costumam ser bem superiores à taxa Selic. E na medida em que os juros da economia sobem, as taxas do empréstimo pessoal, rotativo do cartão e cheque especial crescem também.

Educação financeira para organizar o orçamento

Para quem está precisando de empréstimo, o ideal é começar a buscar conteúdos sobre educação financeira para organizar o orçamento. Até porque, esse é o primeiro passo para evitar ficar tomando empréstimos.

Publicidade

Como vimos, os empréstimos estão mais caros e deverão se tornar ainda maiores durante esse ano de 2022. O ideal é conseguir ajustar as contas para caber dentro do orçamento e deixar um espaço para a quitação de dívidas.

Quem não tem dívidas, precisa usar o valor para começar a construir sua reserva de emergência que pode ajudar bastante diante de eventuais imprevistos. A busca por informações é, portanto, o primeiro passo.

Afinal, é preciso entender que ao tomar um novo empréstimo, se ele não for bem planejado, poderá virar uma bola de neve. Ainda mais agora com a taxa de juros elevada. Portanto, é preciso bastante planejamento e busca por conhecimento nesta hora.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.