Reserva de Emergência: O que a pandemia veio nos mostrar

Publicidade
Anúncios

Estamos vivendo um momento atípico em nossas vidas. Uma pandemia generalizada está simplesmente obrigando setores a parar. E sem renda, muita gente que não possui uma reserva de emergência está se vendo em total apuros.

Além dos debates sobre saúde e economia, o coronavírus trouxe uma importante reflexão sobre as finanças pessoais de cada família, bem como lidamos com o consumo mensal e com a nossa poupança.

Em uma sociedade regida pelo consumo e pelo endividamento fácil, muita gente acabou deixando para trás a tão velha e conhecida poupança. Inclusive, o tradicionalismo nos investimentos vinha sendo criticado por inúmeras corretoras de valores.

Mas, o que afinal essa pandemia veio nos mostrar? Será que mesmo tendo algum dinheiro guardado e bens imóveis, estamos realmente seguros diante dessa crise? Para responder essas questões é preciso entender a importância de uma reserva de emergência.

Anúncios
Publicidade

Entendendo a importância da reserva de emergência

A pandemia de coronavírus paralisou muitas empresas e afetou diretamente os autônomos que dependiam da venda da sua força tarefa para sobreviver, sem poder contar com nenhum benefício social do governo.

Sem poder trabalhar, muitas famílias estão se vendo em apuros neste momento. Menos quem pensou em criar uma reserva de emergência, que está um pouco mais seguro durante esse período.

Publicidade

A reserva de emergência é um fundo que uma família tem para ser usado em situações de como essa. Esse fundo, no entanto, precisa ter liquidez imediata, ou seja, precisa ter a possibilidade de ser resgatado a qualquer momento.

Normalmente os investimentos em poupança e CDB com resgate automático são os tipos de investimentos mais apropriados para uma reserva de emergência. Pois se necessário, o dinheiro pode ser usado a qualquer momento.

No entanto, se todo o capital de uma família está investido em ações ou imóveis, embora essa família tenha um bom patrimônio, em situações como essa a liquidez pode ficar completamente comprometida.

Publicidade

Por essa razão, essa crise deixará uma importante lição para todos: a importância de ter uma reserva de emergência com baixa rentabilidade, alta segurança e liquidez para momentos de imprevisto.

Qual o valor ideal para se fazer uma reserva de emergência?

Não há um valor ideal quando pensamos em uma reserva de emergência. No entanto, para se ter uma segurança maior, é importante ter guardado um montante equivalente a no mínimo 6 meses do seu rendimento.

Sendo assim, uma família que ganha R$ 3 mil, é ideal ter uma reserva de emergência de R$ 18 mil. Caso essa família consiga guardar uma quantidade superior, o excedente pode ser aplicado em ativos de menor liquidez e maior rentabilidade.

Publicidade

Hoje em nosso país são poucas as pessoas e até mesmo as empresas que fizeram uma reserva de emergência para este momento. Como consequência, teremos uma queda maior no consumo com muita gente passando dificuldades.

Isso exige que o governo busque ajudar essas famílias. No entanto, assim que a tempestade passar precisamos levantar algumas reflexões, sendo que uma delas é como estamos lidando com o consumo e endividamento.


Veja também:


Um novo panorama mundial

É bem possível que passada essa crise estaremos diante de um novo panorama mundial. A busca por altas rentabilidades custe o que custar serão colocadas em xeque. Investidores irão melhorar a diversificação de seus investimentos.

Por outro lado, as pessoas que buscam a sua satisfação pessoal no consumo também irão ponderar mais antes de gastar. Passarão a entender a importância de criar uma reserva capaz de garantir um momento difícil como este.

Não sabemos ainda até onde vai essa pandemia e nem tampouco quando a cura virá. Mas sabemos, que passado esse momento, novos valores serão adotados por todas as pessoas.

Publicidade

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia com seus amigos nas redes sociais.