Salário mínimo: governo quer apenas reajustá-lo pela inflação

Uma notícia desafiadora para os trabalhadores brasileiros: o governo propôs que o salário mínimo deverá somente ser corrigido pela inflação. Entenda a seguir.

Publicidade
Anúncios

Salário mínimo

renda brasil

Na última segunda-feira (31) o governo propôs que o salário mínimo deverá somente ser corrigido pela inflação.

Dessa forma, o valor pago será de apenas R$ 1.067 a partir de janeiro de 2021, com pagamento começando no mês de fevereiro.

Esse é o valor que consta no projeto da lei orçamentária do ano que vem que foi encaminhado na segunda-feira (31) pelo Ministério da Economia ao Congresso Nacional.

No entanto, esse valor ainda não é definitivo uma vez que precisa ser aprovado pela Câmara para então entrar em vigor.

Anúncios
Publicidade

Salário mínimo corrigido pela inflação

Ao corrigir o salário mínimo apenas pela inflação, o assalariado brasileiro não terá ganhos reais no próximo ano.

Isso quer dizer que os mesmos itens que ele comprava neste ano com os atuais R$ 1.045 serão comprados no ano que vem com R$ 1.067, não aumentando assim o seu poder de compra.

Publicidade

Em abril deste ano o governo havia sugerido que o valor seria de R$ 1.079 para o ano que vem. No entanto, devido à crise causada pelo coronavírus tudo mudou.

Um dos principais motivos do governo apenas corrigir o salário pela inflação é o aumento dos gastos públicos por conta do coronavírus.

Dessa forma, se o salário aumentar acima da inflação haverá um déficit ainda maior das contas públicas uma vez que muitos aposentados e pensionistas recebem o benefício amparado no salário mínimo.

Projeção da inflação para o ano de 2020

Publicidade

No mês de abril quando o governo anunciou que o salário mínimo deveria ser de R$ 1.079 a projeção do INPC era de 3,27% para este ano.  Entretanto, esse valor caiu para 2,09% em julho.

De acordo com a Constituição Federal, o salário mínimo no país precisa ser corrigido, ao menos, pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior.

Como o governo determinou que o salário mínimo será corrigido apenas pela inflação, ele poderá sofrer novas alterações de acordo com o comportamento do índice.

Publicidade

Para se ter uma ideia, o salário mínimo no Brasil serve de referência para 49 milhões de trabalhadores, segundo dados da Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).


Veja também:


Aumento do salário mínimo seguindo a inflação

A proposta do orçamento que foi enviada pelo governo federal ao Congresso, prevê que o salário mínimo seja corrigido com base apenas na inflação.

Portanto, como já dissemos não haverá “ganho real”. Mas por outro lado, o poder de compra do trabalhador brasileiro será preservado.

A política de aumentos reais que até então vinha sido implementada pela presidente Dilma Rousseff já havia sido abandonada nos anos anteriores. Ela vigorou de 2011 a 2019.

Durante esse período o salário mínimo era reajustado pela inflação e também pela variação do PIB, sendo que nos anos de 2017 e 2018 como o PIB sofreu retração o salário mínimo foi corrigido também apenas pela inflação.

Publicidade

Impacto nas contas públicas

O secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, disse que se o aumento do salário for acima da inflação será necessário reduzir outra despesa primária do governo.

Publicidade

Até porque, a cada R$ 1 a mais no salário mínimo ocasiona um aumento de R$ 300 milhões a mais nas despesas públicas.

Por isso, ao conceder um reajuste apenas amparado na inflação, o governo busca equilibrar as contas públicas para o próximo ano, visto que a situação fiscal do Brasil é bastante frágil.

Por outro lado, o trabalhador brasileiro segue sem poder consumir mais, embora também não irá consumir menos.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.