Transferências por WhatsApp em breve? Saiba mais sobre esta novidade!

O aplicativo de mensagens mais conhecido do mundo, Whats App, vai inovar mais uma vez: transferências de valores entre pessoas físicas. Saiba mais a seguir.

Publicidade
Anúncios

Transferências por WhatsApp em breve?

WHATSAPP PAGAMENTO

O Pix veio para transformar os meios de pagamentos no Brasil. Mas, uma novidade poderá chacoalhar de vez o setor: as transferências por WhatsApp.

Recentemente, em uma entrevista, o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, disse que o WhatsApp entrará em breve na área de pagamentos no Brasil.

Além disso, Campos Neto afirmou que o BC mantém diálogo com o Google e com outras gigantes da tecnologia também.

Quer saber mais sobre essa novidade? Então continue mais alguns minutinhos por aqui.

Anúncios
Publicidade

Como serão feitas as transferências por WhatsApp?

Campos Neto afirmou que as transferências por WhatsApp serão no estilo P2P (peer-to-peer), que será de pessoa física para pessoa física.

De acordo com o presidente do BC, isso não vai demorar. Até porque, as conversas entre o Banco Central e o CEO do WhatsApp estão bem avançadas.

Publicidade

A princípio as transferências serão feitas somente entre pessoas físicas (P2P), como dissemos, e depois irão se estender para as transferências entre pessoas e empresas.

A maior preocupação do BC é que o mensageiro passe por todos os critérios de aprovação, e que tenha no Brasil um sistema que fomente a competição.

Em outras palavras, Campos Neto não quer que o WhatsApp monopolize o setor e, por isso, também está conversando com outras gigantes da tecnologia como o Google, por exemplo.


Publicidade

Veja também:


Banco Central quer democratizar o sistema de pagamentos no Brasil

O Banco central quer criar um sistema de pagamentos no Brasil cada vez mais democrático e inclusivo. Afinal, ainda há uma grande parte da população que não utiliza bancos.

O primeiro passo foi dado com o lançamento do Pix no último dia 16 de novembro. Agora ficou muito mais fácil fazer transferência entre pessoas físicas e jurídicas.

Publicidade

O Pix rompeu algumas barreiras, e agora qualquer pessoa pode fazer transferências de valores a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana.

Apesar de não ter completado um mês de funcionamento, esse sistema vem mostrando que realmente veio para ficar.

Só para ilustrar, uma pesquisa recente feita pelo IBOPE dtm, encomendada pelo C6 Bank, mostra que 60% dos internautas preferem o Pix do que o TED ou o DOC.

Essa pesquisa foi feita entre os dias 18 e 24 de novembro e possui dois pontos percentuais de margem de erro. Foram ouvidas 2 mil pessoas em todo Brasil.

O que mais aponta essa pesquisa do IBOPE?

A pesquisa encomendada pelo C6 Bank apontou ainda que 56% dos entrevistados querem pagar alguma conta de consumo pelo Pix, como água, luz e telefone.

Além disso, 45% das pessoas disseram ter a intenção de pagar produtos e serviços em estabelecimentos comerciais por QR Code, por exemplo.

Publicidade

Um outro dado interessante é que 53% dos entrevistados disseram que darão prioridade ao Pix em comparação aos tradicionais cartões de crédito.

Publicidade

Portanto, é possível ver que o crescimento do Pix é inevitável. Só para ter uma ideia, até o dia 3 de dezembro já foram realizadas 43 milhões de transações.

O número de chaves cadastradas até o dia 3 era de 99,7 milhões. Agora, com a chegada do WhatsApp no sistema de pagamentos, mais e mais pessoas serão beneficiadas.

Por isso, os bancos como Nubank, e C6 Bank estão cada vez mais ligados nessa realidade. Afinal, o Pix é uma grande oportunidade para o crescimento dos bancos digitais. Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais.